sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

A MULHER VESTIDA DE SOL COM OS PÉS SOBRE OS CORNOS DA LUA

guadalupe_changes
estampa original sincrética da Virgem de Guadalupe e retocada (México).




Que mistério tem a Mulher nesta vida nossa?
Eterno feminino mãe de todos viventes.
Será que a amazonidade do gigante Brasil
e do vasto mundo revelará o profundo
Mistério da primeira noite do mundo,
nigredo liberado do Medo pânico
que habita o inconsciente de gentes e bichos?

Enigma encerrado nas fontes do Nilo na Etiópia
onde a civilização nasceu antes dos faraós
ou no fundo do rio das Amazonas importadas
do lendário Mar Negro para ocupar o Rio Babel
dentro de um caroço de tucumã pequeninho
onde se aninham mitos e lendas da Criação
fruto dourado de uma palmeira espinhosa Astrocarium?

Parto da primeira manhã após o Fim do Mundo
a física quântica não poderá desdenhar
da inventiva dos pajés e profetas da idade da pedra. 
A filha da cobragrande Boiúna ia se casar...
Casar com quem, seu Raimundo?
Só podia ser com o Homem 
da beira do rio de Heráclito...
A tal moça era a Cultura ribeirinha portanto
(o resto da história já se sabe).

Até que no dia 12 de fevereiro nasceu
nas ilhas Britânicas no seio de nobre família
temente a Deus
um menino batizado com nome Carlos
fadado a provocar a morte de Zeus
e de todos deuses filhos seus: pobre Darwin!
Nas Galápagos distantes esperado pelo acaso
há milhões de anos através do arco das gerações
da Real Sociedade...
Vinte anos temendo dar a tremenda notícia.
Para o bem e o mal um certo Wallace em viagem
na Amazônia libertaria Darwin de seu dilema.
Nietzsche um tanto atrasado não hesitou porém
em largar a bomba: "Deus está morto!".

Coitado do finado Nietzche morto e sepultado
sob triunfo monumental não sei de que quantas
Igrejas, seitas e cultos religiosos...
Na Amazônia o diabo da aculturação
trouxe de Paris
a noite de São Bartolomeu na bagagem medieval
dos frades franciscanos da missão da França
equinocial
quando o espírito Jurupari do bom selvagem
Tupinambá serviu de bode expiatório
à destruição das Índias Ocidentais
pelos bons cristãos.
Cortez tocou fogo no México e Pizarro arruinou
os Incas no Peru:
tudo em nome de Deus e de El-Rey.

Cruz credo! Constantino não me deixa mentir
Santa Helena em peregrinação à Terra Santa
em busca da vera Cruz e do Presépio
Santa Maria e todas aquelas mulheres da Galileia
a alimentar a maior revolução da Terra.
Maria de Nazaré poderia ser matriarca
do primeiro cristianismo de Jesus Cristo
se os patriarcas estivessem mais atentos
à língua "morta" que o Rabi falou no Sermão da Montanha.

Homens fazem a guerra, Mulheres preparam a paz.
Quando a peste devastou Roma o papa
pediu ao filho do Homem a salvação do povo
por intermédio da Virgem do Apocalípse,
que socorreu os cristãos de Hispania
numa gruta de montanha no Rio dos Lobos,
frente à invasão dos Mouros,
já sob invocação de Nossa Senhora
De Guadalupe
Isto é Virgem do rio dos lobos...

Que chegou em Cuba a socorrer os filhos seus
assassinados e decepados por lobos da cristandade
a fim de alimentar cães danados
trazidos do velho continente para aperrear os índios
no Novo Mundo.
De Cuba ao México foi breve escala da Mãe de Deus
que nem hoje o Papa para abraçar o Patriarca ortodoxo,
onde a Mulher vestida de sol assumiu antigo lugar
da deusa asteca do lago da Lua.

Mas que a teoria da Evolução tem a ver com isto?
Talvez o padre Chardin pudesse responder
Se não estivesse morto
depois de ser obrigado ao silêncio pelo Santo Ofício.
A genética mãe da biologia terá parido a memória
Mãe da história e avó do Livro sagrado
(o resto já se sabe).

cultura marajoara


cultura asteca



Nenhum comentário:

Postar um comentário